Política tributária perversa, imposta à população de Araguaína, ocasionou morte de morador, diz vereador

Política tributária perversa, imposta à população de Araguaína, ocasionou morte de morador, diz vereador

A Política tributária imposta à população de Araguaína pelo ex-prefeito do município, Ronaldo Dimas (PODEMOS), e agora seguida pelo atual prefeito Wagner Rodrigues (SD), vem provocando controvérsia em vários setores da sociedade araguainense.

Durante a sessão do fim do mês de agosto o vereador Wilson Carvalho, do PROS, questionou o valor do IPTU e as ações judiciais da prefeitura contra a população. “Na semana passada uma pessoa me procurou dizendo que IPTU chegou com o valor de R$ 20 mil. Ela trabalha como doméstica certamente ganha pouco, ai eu pergunto como essa doméstica vai fazer para pagar. O pior de tudo é que o município já mandou a cobrança para justiça para ser executada. A nossa cidade não era assim, foi a gestão Ronaldo Dimas que Trouxe isso a nossa população, que na maioria das vezes não tem um emprego. Não adianta fazer prédio bonito se o povo está sofrendo sem ter empregos” destacou o vereador.

O vereador Flávio Cabanhas (PTB) também teceu críticas a cobrança do IPTU em Araguaína. Segundo o vereador, em decorrências da cobrança abusivas e das execuções judiciais cidadãos araguainenses morreram. “Tem pessoas idosas que têm morrido devido essa cobrança, pessoas que hoje encontram-se endividadas”, denunciou o parlamentar.

A ação de execução fiscal é o instrumento pelo qual a Fazenda Pública tenta receber judicialmente um crédito que acredita possuir. Por isso, ocorre depois de uma tentativa frustrada de cobrança na esfera administrativa, porém Wilson defende que a população não foi comunicada das ações judiciais que custam cerca de 10% do valor da dívida para os contribuintes.

Por: Geovane Oliveira