25 - outubro - 2020

Governador Mauro Carlesse destaca desenvolvimento com sustentabilidade em reunião com governadores e líderes empresariais

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, afirmou, nesta quarta-feira, 12, durante reunião por videoconferência com governadores dos estados-membros do Consórcio da Amazônia Legal e representantes do Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), que o Tocantins tem se pautado por uma política de meio ambiente baseada na sustentabilidade. A reunião teve como objetivo debater, com os governadores, políticas voltadas para combater o desmatamento ilegal e o impacto que a questão ambiental tem na imagem e nos negócios do Brasil no exterior.

O Governador tocantinense salientou que as questões ambientais na Amazônia Legal são as mesmas em todos os estados, mas explicou que o Tocantins tem uma peculiaridade com relação aos demais estados da região, uma vez que grande parte do bioma é formado pelo Cerrado. No entanto, explicou ainda que a preocupação é pela exploração econômica dentro dos princípios da legalidade. “Temos realizado um trabalho de licenciamento muito criterioso, de forma que não temos desmatamento ilegal. Atraímos investidores, orientamos os nossos produtores e promovemos a nossa agricultura e a pecuária, bem como o crescimento econômico de forma sustentável. Outra ação importante que está em curso é a titulação de mais de 80 mil propriedades rurais, que seguramente vai permitir a posse de fato e de direito a esses posseiros que esperam pela convalidação dos títulos paroquiais há décadas”, ressaltou o governador Mauro Carlesse, ao elogiar o desprendimento do empresariado em apoiar as ações de preservação.

Comunicado

Recentemente, o Conselho de Líderes, fórum composto pelos CEOs das maiores empresas brasileiras, lançou o Comunicado do Setor Empresarial Brasileiro, em prol de políticas de preservação ambiental e ações de proteção para comunidades locais dos biomas brasileiros, com destaque para a Amazônia. O documento foi elaborado e articulado em parceria com a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), a Indústria Brasileira de Árvores (IBA), a Associação Brasileira das Indústrias de óleos Vegetais (Abiove) e a Rede Brasil do Pacto Global da Nações Unidas.

O foco do documento é olhar para o futuro, defendendo a adoção de políticas públicas que impulsionem uma retomada verde após a crise da Covid-19, na direção de uma economia circular e de baixo carbono. O movimento visa colocar as instituições e as empresas que apoiam a disposição para contribuir com soluções para um país sustentável.

O presidente do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal e governador do Estado do Amapá, Waldez Góes, também destacou o aspecto positivo da iniciativa dos empresários e afirmou que, por melhor que seja a iniciativa de cada um que empreende na Amazônia Legal ou em outra localidade no Brasil, perde visibilidade quando a imprensa aborda a agenda negativa, que são as queimadas, os desmatamentos e outras ações nocivas ao meio ambiente. “Essa preocupação é a preocupação do Consórcio de Desenvolvimento da Amazônia Legal e seus governadores da região e dessa frente empresarial. Estamos do mesmo lado, os governadores têm esse compromisso. A nossa agenda macro é buscar o desenvolvimento, respeitando o bioma da Amazônia”, enfatizou Waldez Góes.

O presidente da Associação Brasileira do Agronegócio, Marcelo Brito, pontuou que essa reunião representou a integração, porque é preciso passar um compromisso público/privado para a Amazônia com o estabelecimento de regras claras, de desenvolvimento, de regularização fundiária e o enfrentamento de diversas questões. “Temos uma oportunidade única, temos os recursos e o conhecimento. Muito mais que isso, é o planejamento sustentável da Amazônia e do Brasil, precisamos fazer algumas escolhas, como redimensionar os investimentos para o enfrentamento, a recuperação da economia e o modelo de economia de baixo carbono, inclusiva e que não haja controvérsia entre produzir e preservar”, ressaltou.

Governadores

Além do governador Mauro Carlesse, participaram da reunião os governadores do Acre, Gladson Cameli; do Amapá, Waldez Góes; do Amazonas, Wilson Lima; do Maranhão, Flávio Dino; do Mato Grosso, Mauro Mendes; de Roraima, Antônio Denarium; do Pará, Helder Barbalho; e de Rondônia, Marcos Rocha.

Jarbas Coutinho/Governo do Tocantins

Me siga

Categorias