20 - outubro - 2020

Vereador Carlos Silva diz que relatórios apontam rombo milionário no IMPAR de Araguaína

O vereador Carlos Silva (PSL), na última sessão do dia 11 de agosto, votou contrário a aprovação das contas do ano de 2015 da Administração de Ronaldo Dimas, o parlamentar já tinha votado contrário as prestações de contas em 2013 e 2014.

Durante a sessão, que aconteceu a votação, o vereador Araguainense justificou o motivo que o levou ao voto contrário a aprovação das contas: “As contas do prefeito Dimas foram aprovadas, mas com o meu voto contrário, porquê há vários apontamentos, tanto no relatório do tribunal de contas do estado, como do parlamento municipal. Existem índices de irregularidades nos dois relatórios apresentados, conforme temos em mãos. Entre as supostas irregularidades temos as despesas do município que foram executadas em desacordo com os valores, também há divergência na prestação de conta da execução de restos a pagar, realização de contratos em desacordo com as normas legais, descumprimento ao que determina a norma constitucional contida no artigo 37 e na lei 8212 no que se refere a contribuição destinada à Seguridade Social. Estamos falando do “calote” não só perante o instituto de previdência e assistência aos servidores do município de Araguaína (IMPAR), mas também na Previdência. O rombo é gigante. Para onde foi esse dinheiro? Qual foi a finalidade e o destino do dinheiro que estava no orçamento e não foi repassado ao IMPAR? Isso cedo ou tarde vai impactar nas aposentadorias dos servidores públicos municipais de Araguaína, ou seja, provavelmente no futuro terá que ter uma reforma. O relatório também aponta a conivência do concelho municipal de saúde, a ausência de documentos exigidos considerados essências, bem como, o descumprimento das recomendações e decisões do tribunal de contas do estado, a  Inclusão de todos os servidores municipais no plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores Públicos (PCCR). 

De fato, o prefeito Ronaldo Dimas ficou 8 anos no cargo de prefeito e nós tivemos várias reuniões cobrando a lei que beneficiaria os servidores, mas, na verdade, sabemos que os funcionários foram perseguidos torturados e ainda levaram calote das contribuições. Que eram para ser repassada pelo municipal, mas não foram. Com base no relatório meu voto é contra a provação das contas do exercício de 2015, da gestão Ronaldo Dimas”, concluiu o vereador Carlos Silva

Por  Geovane Oliveira

Me siga

Categorias