seg. mar 8th, 2021

Sem resposta do governo, policiais mantêm greve após assembleia geral

Assembleia Geral - policiais civisOs policiais civis do Tocantins decidiram, em assembleia da categoria que terminou no início noite desta sexta-feira, 20 de março, manter a greve geral da categoria iniciada no dia 25 de fevereiro. A decisão, praticamente unânime, levou em conta a falta de resposta do governo Estado para contraproposta protocolada pelo comando de greve no final da manhã desta sexta-feira.

A assembleia geral contou com cerca de mil policiais e ocorreu em Palmas, na quadra esportiva da sede do Sinpol-TO (Sindicato dos Policiais Civis do Tocantins). A assembleia também decidiu rejeitar a proposta do governo apresentada em reunião na noite de quarta-feira, 18, com o Sinpol, Defensoria Pública e MPE (Ministério Público Estadual).

Por outro lado, a assembleia decidiu que, se o governo do Estado aceitar a contraproposta do comando de greve, os policiais voltam ao trabalho imediatamente e a greve estará encerrada.

Contraproposta

Na contraproposta do comando de greve, o governo do Estado só precisará incorporar o alinhamento da carreira dos policiais civis em janeiro de 2016, já com a tabela prevista para o ano que vem. Em contrapartida, o governo estadual emitiria títulos públicos que pudessem ser descontados pelos policiais em um banco conveniado com o Estado. Esses títulos teriam o valor total do alinhamento de 2015 e ficaria a cargo do Estado fazer esse convênio com o banco.

O policial que não quisesse pagar as taxas ao banco para receber o montante do alinhamento de 2015 de uma só vez neste ano terá a opção de receber retroativamente o dinheiro do próprio governo, em 36 parcelas, com a primeira sendo paga em janeiro de 2016.

Além disso, o governo retira a ação na Justiça que contesta a greve e se compromete a não descontar o ponto dos policiais grevistas.

“Levamos em conta as dificuldades do governo nessa nossa contraproposta. Ela é respaldada por toda a nossa categoria. Se o governo quiser mesmo encerrar a greve, basta aceitá-la”, destacou o presidente do Sinpol-TO, Moisemar Marinho.

 Greve

Os policiais civis do Tocantins estão em greve desde o dia 25 de fevereiro. O movimento paredista cobra o cumprimento da lei 2.851/2014, que faz o alinhamento da carreira dos policiais deixando apenas o nível superior na corporação.

A lei, resultado de oito anos de luta e negociação dos policiais com o governo do Estado, teve seus efeitos financeiros suspensos por um decreto do governador Marcelo Miranda. O alinhamento havia sido concedido aos policiais em 2007, na penúltima gestão do governador Marcelo Miranda. Porém, a regulamentação se arrastou por vários governos e só ocorreu em abril do ano passado, para ter efeitos financeiros parcelados em quatro anos a partir de janeiro de 2015.

 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Wagner convoca mais 153 aprovados no Concurso do Quadro Geral de Araguaína

O prefeito de Araguaína, Wagner Rodrigues, assinou portaria nesta sexta-feira, 5, convocando novos aprovados no Concurso do Quadro Geral de Araguaína. São 152 profissionais que assumirão seus cargos nas secretarias...

Governadores assumem coordenação do combate ao coronavírus e podem decretar lockdown nacional dia 14

O governador do Piauí, Wellington Dias, representante do Fórum Nacional dos Governadores, informou neste domingo que os chefes dos executivos estaduais irão assumir a coordenação nacional do combate ao coronavírus....

Governo do Tocantins abre novos leitos de UTI Covid neste sábado, em Palmas

A população tocantinense contará a partir deste sábado, 6, com mais 6 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), disponibilizados pelo Governo do Tocantins, visando o atendimento a pacientes do...

Semana do governador Carlesse é marcada por entrega de máquinas, busca pela vacina contra à Covid-19 e autorização do curso de Medicina em Paraíso

Da entrega de máquinas pesadas e ônibus escolares, a reunião com prefeitos, anúncio de concurso público, nomeações de delegados, busca por recursos em Brasília (DF), ações que visam complementar o...