09 - abril - 2020

Moradores do Barros I realizam sarau em Araguaína

O mais novo bairro de Araguaína, Barros I, ganha atração cultural permanente, domingo, 12, a partir das 18 horas, na praça do setor. É o Sarau do Movimento, uma realização de moradores do bairro ligados ao Movimento Nacional de Luta Pela Moradia (MNLM). O MNLM foi responsável pelo planejamento e financiamento junto à Caixa Econômica das 500 moradias do bairro inauguradas em dezembro passado. A intenção da comissão liderada por Kamila Oliveira (kkachos) é que o sarau aconteça todo segundo domingo do mês. Segundo ela, o sarau acontece em praça pública como forma de ampliar a participação de quem gosta de arte, especialmente de Literatura. “No espaço público o sarau flui democraticamente, possibilitando que moradores do Barros I tenham chance de levar sua rima, sua dança, sua música para confraternizar com os amigos”, diz. “O fundamental é que todos sintam que a literatura pode lhes garantir o lazer e o conhecimento a um só tempo”, aposta. Segundo Kamila Oliveira, o sarau nasce junto com o bairro — uma feliz coincidência. Ela conta que em dezembro passado participou do 8º Sarau Belchior, evento mensal, há um ano acontecendo em Araguaína, realizado por escritores, professores e estudantes, tendo à frente os professores Hélio Márcio e Leomar Alves e o escritor O mais novo bairro de Araguaína, Barros I, ganha atração cultural permanente, domingo, 12, a partir das 18 horas, na praça do setor. É o Sarau do Movimento, uma realização de moradores do bairro ligados ao Movimento Nacional de Luta Pela Moradia (MNLM). O MNLM foi responsável pelo planejamento e financiamento junto à Caixa Econômica das 500 moradias do bairro inauguradas em dezembro passado. A intenção da comissão liderada por Kamila Oliveira (kkachos) é que o sarau aconteça todo segundo domingo do mês. Segundo ela, o sarau acontece em praça pública como forma de ampliar a participação de quem gosta de arte, especialmente de Literatura. “No espaço público o sarau flui democraticamente, possibilitando que moradores do Barros I tenham chance de levar sua rima, sua dança, sua música para confraternizar com os amigos”, diz. “O fundamental é que todos sintam que a literatura pode lhes garantir o lazer e o conhecimento a um só tempo”, aposta. Segundo Kamila Oliveira, o sarau nasce junto com o bairro — uma feliz coincidência. Ela conta que em dezembro passado participou do 8º Sarau Belchior, evento mensal, há um ano acontecendo em Araguaina, realizado por escritores, professores e estudantes, tendo à frente os professores Hélio Márcio e Leomar Alves e o escritor jjLeandro. “Gostei demais da dinâmica do Sarau Belchior e pensei: por que não um sarau no Barros I? E ele está nascendo”, comemora.. “Gostei demais da dinâmica do Sarau Belchior e pensei: por que não um sarau no Barros I? E ele está nascendo”, comemora.

jjLeandro

Me siga

Categorias