Governador Carlesse se torna um fenômeno da política tocantinense após ascensão meteórica

Governador Carlesse se torna um fenômeno da política tocantinense após ascensão meteórica

Em menos de quatro anos, o eleito para comandar o estado passou de deputado estadual, a presidente da assembleia legislativa e, posteriormente, governador.

O atual governador de Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), foi reeleito já no primeiro turno, no último dia 7, para comandar o estado por mais quatro anos. Ele recebeu 404.484 votos, contra 219.842 do concorrente Carlos Amastha (PSB). Carlesse teve uma rápida ascensão no cenário político ao assumir o executivo local no início de 2018, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassar os mandatos do então governador, Marcelo Miranda (MDB), e da vice, Cláudia Lelis (PV).

A chapa foi acusada de abuso de poder político e teve o mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 22 de março. Carlesse, presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins à época, assumiu o governo. Em 6 de abril, no entanto, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes garantiu uma liminar a Miranda e Cláudia para que voltassem ao cargo até a análise do recurso. O pedido foi negado e, menos de 15 dias depois, Mauro estava de volta à cadeira.

Em uma disputa anterior para o cargo de governador em aberto, o PHS aprovou o nome de Carlesse para concorrer nas eleições suplementar, realizadas em junho deste ano. Mauro venceu o primeiro turno com 30,31% dos votos, deixando para trás nomes tradicionais na política do estado como Kátia Abreu e o ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha. No segundo turno, derrotou o Senador Vicentinho com 75,14% dos votos.

Vida política

Carlesse iniciou na política filiando-se ao Partido Verde (PV) em 2011. Ele foi candidato a prefeito de Gurupi nas eleições de 2012, mas não conseguiu se eleger. No ano seguinte, trocou de legenda e foi eleito deputado estadual pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) para a oitava legislatura. Mauro mudou de partido outra vez e filiou-se ao PHS. Em 8 de julho de 2016, foi eleito presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins para comandar a casa por dois anos.

Por Geovane Oliveira