Governador Carlesse participa de última reunião do ano de 2020 do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal

Governador Carlesse participa de última reunião do ano de 2020 do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal

O governador do Estado do Tocantins, Mauro Carlesse, participou nesta segunda-feira, 21, por meio de videochamada, da última reunião de 2020 da Assembleia Geral do Consórcio Interestadual Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal. Na ocasião, foram definidos contrato de rateio e orçamento para os projetos prioritários, posse do Conselho Fiscal, calendário de reuniões e eleição para a presidência do Consórcio.

O governador Mauro Carlesse afirmou que esse Consórcio foi montado para ter uma união dos estados que compõem a região da Amazônia Legal em todos os sentidos. “Nesse intuito, cada vez mais conseguimos formar os blocos, porque são distintas as regiões e as demandas são diferentes. Temos muitos projetos para desenvolver em nossa região amazônica, preservar o meio ambiente e que assim possamos cuidar melhor da nossa comunidade, que às vezes é esquecida”, destacou.

Eleição

Para o novo biênio, o governador do Maranhão, Flávio Dino, foi eleito por unanimidade como o novo presidente do Consórcio. O mandato dele inicia em 1° de janeiro e vai até 31 de dezembro de 2021. Ele substituirá o governador do Amapá, Waldez Góes.

O governador Flávio Dino agradeceu pela confiança dos demais chefes de Estado em torno do seu nome, bem como defendeu a união dos membros para promover a melhora da qualidade de vida da população e a proteção da Amazônia Legal. “Um colegiado abrange diferentes visões e quem o coordena tem que ter a capacidade de ouvir. Farei com a maior dedicação, maior patriotismo, maior civismo e com espírito de unidade, de diálogo, de consenso. Buscar um entendimento médio, nem uma posição extremada de um lado e nem de outro. Um espírito de unidade”, afirmou.

Integram o Consórcio Interestadual Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Brener Nunes/Governo do Tocantins