Operações da Adapec apreende 742 quilos de queijos clandestinos em Caseara e na TO-050 em Porto Nacional

Operações da Adapec apreende 742 quilos de queijos clandestinos em Caseara e na TO-050 em Porto Nacional

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) realizou entre os dias 1º e 2 de dezembro, operações de combate ao trânsito e comércio clandestino de produtos de origem animal, em diversos pontos do Estado, com apreensão de 180 quilos de queijo frescal na TO-050, no município de Porto Nacional e na madrugada desta terça-feira, 2, foi aprendida uma carga de 562 quilos de queijo ralado clandestino, com procedência do estado do Pará. Ambas as cargas tinham como destino as feiras da cidade de Palmas. Os condutores foram autuados em R$ 2.400,00 reais e R$ 4.500,00 reais respectivamente, e os produtos foram apreendidos e serão destruídos nos aterros sanitários Porto Nacional e Caseara.

De acordo com o inspetor de defesa agropecuária da Adapec, Ricardo Matarazzo, a equipe de combate ao trânsito, industrialização e comércio clandestino de produtos de origem animal da Adapec, realizou blitz nesta terça-feira, 1º de dezembro, na TO-050, entre os municípios de Porto Nacional e Silvanópolis, e após abordagem de diversos veículos de cargas, foi encontrado em um ônibus de linha, um carregamento de queijo frescal sem procedência, ou seja, clandestino e o condutor informou que seria comercializado em feiras da capital.

Apreensão em Caseara

Já na madrugada desta quarta-feira, 2, a equipe esteve na barreira fixa de Caseara na divisa com o Pará, e ao vistoriar um veículo utilitário suspeita, descobriram que se tratava de queijos clandestinos sendo transportados na corroceria da pick up, enrolados em lona preta, sem nenhuma refrigeração, sem registro de nenhum órgão oficial de inspeção e nem rotulagem. Diante disso, os inspetores e fiscais tomaram todas as medidas cabíveis, conforme determina a legislação.

Segundo o gerente de inspeção animal, Antonio José de Sousa Caminha, neste caso de Caseara, a Agência já vinha investigando a entrada de produtos clandestinos de origem animal no Estado, por meio da divisa com o Pará, “e num serviço de inteligência conseguimos interceptar antes que este carregamento chegasse ao seu destino final, o que poderia acarretar sérios riscos à saúde da população que viesse a consumir este queijo,” ressaltou Antonio José.

As duas ações contaram com o apoio da barreira volante da Adapec de Porto Nacional e da barreira fixa de Caseara.