Clayton Paulo mostra relatório detalhado de dívidas que somam R$ 1,4 milhão em Nazaré

O prefeito de Nazaré (TO), Clayton Paulo (PTB), apresentou relatório preliminar sobre a situação financeira do Município durante reuniões realizadas com vereadores, servidores públicos e comunidade em geral na Câmara Municipal nesta terça-feira (16).

Segundo o prefeito, o cenário encontrado é preocupante, já que encargos sociais, salários e dívidas com concessionárias de energia elétrica e água somam quase R$ 1,4 milhão.

 

Temos o dever de pagar os salários dos servidores em dia, por isso nossa preocupação em resolver o mais rapidamente possível a situação dos nossos colaboradores”, ressaltou o prefeito.

Clayton Paulo também ressaltou que a gestão passada, da ex-prefeita Elvira Chagas, não lhe repassou os documentos das despesas do mês de dezembro, o que dificulta o pagamento dos servidores.

Quanto às dívidas com concessionárias de energia elétrica e água, o prefeito disse que já negociou com a Energisa o valor de R$ 130.026,00. Já com a BRK Ambiental, o valor de R$ 263.441,88 ainda não foi negociado.

Outra dívida preocupante apontada pelo prefeito é com a Receita Federal, proveniente de INSS não pagos em 2020, no montante de R$ 588.360,79, sem incluir multas e juros.

 

Teremos dificuldades para honrar os compromissos assumidos com nossa população devido a essas dívidas, mas faremos o possível para tentar reduzir o prejuízo causado pela falta de planejamento e total desrespeito com o dinheiro público da gestão passada”, enfatizou Clayton.

No total, foram apresentadas dívidas no total de R$ 1.397.517,44, mas esse valor ainda pode ser majorado devido à incidência de juros e multas e o surgimento de outros fornecedores.

RELATÓRIO CONSOLIDADO DE DÍVIDAS RECEBIDAS

ÓRGÃO

VALOR CONSOLIDADO

JÁ PAGO

DATA PGT

EM ABERTO

RECEITA FEDERAL (INSS Estimado)

588.360,79

208.947,63

2021

379.413,16

ENERGISA (Negociado)

130.026,60

30.000,00

2021

100.026,60

BRK AMBIENTAL (Em Aberto)

263.441,88

0,00

263.441,88

OI FIXO (Telefone)

2.699,99

2.699,99

2021

2.699,99

CONSÓRCIO RESÍDUOS SÓLIDOS

47.300,00

0,00

47.300,00

DIVERSOS (Até Agora)

13.855,00

0,00

13.855,00

FOLHA DE DEZEMBRO

346.347,16

0,00

   346.347,16

CONSIGNADOS (BRADESCO 10 à 12/2020)

5.486,02

0,00

5.486,02

 

1.397.517,44

241.647,62

 

1.158.569,81

 

RELATÓRIO DE PENDÊNCIAS FOLHA / 2020

 

ABRANGÊNCIA

ÁREA

VENCIMENTO

VALOR

DEZEMBRO/2020

EDUCAÇÃO

30/12/2020

158.274,68

DEZEMBRO/2020

SAÚDE

30/12/2020

125.235,89

DEZEMBRO/2020

ASSISTÊNCIA

30/12/2020

14.882,20

DEZEMBRO/2020

PREFEITURA

30/12/2020

47.954,39

TOTAL ESTIMADO

346.347,16

 

RELATÓRIO PRELIMINAR DE PENDÊNCIAS JUNTO AO INSS

 

GEFIP

PREVISÃO

DEBITO

DATA

RESTANTE

04/2020

122.395,11

74.338,68

10/11/2020

48.056,43

05/2020

119.725,33

109.219,88

10/12/2020

10.505,45

06/2020

124.747,83

91.153,25

10/08/2020

33.594,58

07/2020

127.159,20

85.657,27

10/09/2020

41.501,93

08/2020

127.905,42

87.070,27

09/10/2020

40.835,15

09/2020

130.900,98

88.747,03

10/11/2020

42.153,95

10/2020

130.900,98

93.106,57

10/12/2020

37.794,41

11/2020

128.418,57

97.680,77

08/01/2021

30.737,80

12/2020

104.444,94

96.810,72

10/02/2021

7.634,22

13/2020

86.599,24

?

?

86.599,24

Total Estimado da Dívida Sem Juros

379.413,16

Total pago em 2021 (11/2020 e 12/2020)

194.491,49

Total de Juros pagos em 2021 (11/2020 e 12/2020)

14.456,14

TOTAL DE DÍVIDA ESTIMADA INSS GESTÃO 2017/2020

588.360,79

RELATÓRIO DE PENDÊNCIAS JUNTO AO CONSÓRCIO ATERRO SANITÁRIO PARA GESTÃO DE RESÍDUOS SOLÍDOS GESTÃO 2017/2020

MÊS

VENCIMENTO

DATA DO PAG

RESTANTE

01/2019

30/01/2019

30/04/2020

0,00

02/2019

28/01/2019

30/06/2020

0,00

03/2019

30/03/2019

Débito

2.150,00

04/2019

30/04/2019

Débito

2.150,00

05/2019

30/05/2019

Débito

2.150,00

06/2019

30/06/2019

Débito

2.150,00

07/2019

30/07/2019

Débito

2.150,00

08/2019

30/08/2019

Débito

2.150,00

09/2019

30/09/2019

Débito

2.150,00

10/2019

30/10/2019

Débito

2.150,00

11/2019

30/11/2019

Débito

2.150,00

12/2019

30/12/2019

Débito

2.150,00

01/2020

30/01/2020

Débito

2.150,00

02/2020

28/02/2020

Débito

2.150,00

03/2020

30/03/2020

Débito

2.150,00

04/2020

30/04/2020

Débito

2.150,00

05/2020

30/05/2020

Débito

2.150,00

06/2020

30/06/2020

Débito

2.150,00

07/2020

30/07/2020

Débito

2.150,00

08/2020

30/08/2020

Débito

2.150,00

09/2020

30/09/2020

Débito

2.150,00

10/2020

30/10/2020

Débito

2.150,00

11/2020

30/11/2020

Débito

2.150,00

12/2020

30/12/2020

Débito

2.150,00

Total de débitos

47.300,00

Fonte AF 

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais 230,7 milhões de doses de vacina serão entregues até julho

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, apresentou nesta quarta-feira (17) um cronograma em que prevê a distribuição de cerca de 230,7 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até julho. O anúncio foi feito durante reunião virtual com governadores, informou a pasta.

Na programação apresentada, o ministro incluiu as negociações com os laboratórios União Química/Gamaleya e Precisa/Bharat Biotech, que podem garantir ao Brasil a chegada da vacina russa Sputnik V e da indiana Covaxin, respectivamente. A previsão, de acordo com a pasta, é que o contrato com os dois laboratórios seja assinado ainda nesta semana. Os dois imunizantes ainda não possuem pedido de uso emergencial aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“[No cronograma] listamos todos os laboratórios com os quais o ministério vem trabalhando, com instituições como o Butantan e a Fiocruz já com compras e contratos executados, com previsões de entrega perto de 300 milhões de doses. Com os demais laboratórios contratados, chegamos a 450 milhões de doses [de vacinas] no total”, afirmou o ministro Pazuello.

As próximas entregas aos estados acontecem ainda em fevereiro: serão 2 milhões de doses da AstraZeneca/Fiocruz, importadas da Índia, e 9,3 milhões da Sinovac/Butantan, produzidas no Brasil. Em março, a pasta também aguarda a chegada de 18 milhões de doses da vacina do Butantan e mais 16,9 milhões da vacina da AstraZeneca.

A assessoria do Ministério da Saúde informou o seguinte cronograma sobre a entrega das vacinas no país:

Fundação Oswaldo Cruz (vacina AstraZeneca/Oxford)

Janeiro 2 milhões (entregues)
Fevereiro 2 milhões (importadas da Índia)
Março 4 milhões (importadas da Índia) + 27,3 milhões (produção nacional com IFA importado)
Abril 28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Maio 28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Junho 28,6 milhões (produção nacional com IFA importado)
Julho 3 milhões (produção nacional com IFA importado)
Total (1º semestre) 112,4 milhões de doses

A partir do segundo semestre, com a incorporação da tecnologia da produção da matéria-prima (IFA), a Fiocruz deverá entregar mais 110 milhões de doses, com produção 100% nacional.

Fundação Butantan (vacina Coronavac/Sinovac)

Janeiro 8,7 milhões (entregues)
Fevereiro 9,3 milhões
Março 18,1 milhões
Abril 15,9 milhões
Maio 6 milhões
Junho 6 milhões
Julho 13,5 milhões
Total 77,6 milhões de doses

Até setembro, serão entregues mais de 22,3 milhões de doses da Coronavac, totalizando os 100 milhões contratados pelo Ministério da Saúde.

Covax Facility

Março 2,6 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)
Até junho: 8 milhões (vacina importada da AstraZeneca/Oxford)
Total: 10,6 milhões de doses

União Química (vacina Sputnik V/Instituto Gamaleya/Rússia)

Março 400 mil (importadas da Rússia)
Abril 2 milhões (importadas da Rússia)
Maio 7,6 milhões (importadas da Rússia)
Total 10 milhões de doses

Com a incorporação da tecnologia da produção do IFA, a União Química deverá produzir, no Brasil, 8 milhões de doses por mês.

Precisa Medicamentos (vacina Covaxin/Barat Biotech/Índia)

Março 8 milhões (importadas da Índia)
Abril 8 milhões (importadas da Índia)
Maio 4 milhões (importadas da Índia)
Total 20 milhões de doses

*Matéria editada às 20h12 para inclusão da fala do ministro Eduardo Pazuello.

Edição: Pedro Ivo de Oliveira

Por Agência Brasil 

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Vice-governador Wanderlei Barbosa participa de reunião com governadores e ministro da Saúde

O vice-governador do Estado do Tocantins, Wanderlei Barbosa, participou na tarde desta quarta-feira, 17, de uma reunião por videoconferência entre os governadores e o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O objetivo foi discutir um cronograma de vacinação, diante da preocupação com o avanço da incidência da Covid-19 e o colapso da rede de saúde em vários Estados. Os governadores também cobraram o pagamento imediato dos leitos clínicos e de UTIs habilitados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A principal demanda apresentada pelo governador do Piauí, Wellington Dias, que organizou a reunião virtual, foi a apresentação de um cronograma de entrega de vacinas mês a mês, para que os Estados possam planejar e evitar a paralisação da vacinação ou a falta da segunda dose na data estipulada. A iniciativa visa evitar a ineficácia do imunizante.

Durante a reunião, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu que 230,7 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 serão entregues até 31 de julho e apresentou cronograma de entrega, quantidade de doses e contratos para aquisição de mais imunizantes. O ministro sustentou que as próximas entregas vão acontecer ainda em fevereiro e que está em negociação para aquisição das vacinas Sputnik V, desenvolvida pelo instituto russo Gamaleya, e a indiana Covaxin.

Entregas          

O ministro informou que serão entregues ainda este mês 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, importadas da Índia; 9,3 milhões de doses da Sinovac/Butantan, produzidas no Brasil. Conforme o Ministro, em março são aguardadas 18 milhões de doses do Instituto Butantan e outras 16,9 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca.

Quanto ao pagamento imediato dos leitos de UTI e Clínicos utilizados em cada Estado/município conforme Plano Nacional, o ministro garantiu que vão continuar sendo pagos e se for necessário, novos leitos serão habilitados para garantir o tratamento dos brasileiros.

Atualmente o Tocantins conta com 251 leitos clínicos Covid, dos quais 75 estão ocupados, 143 UTIs Covid, sendo que 93 estão com pacientes. O vice-governador Wanderlei Barbosa disse que é uma preocupação de todos os gestores estaduais com relação às UTIs, diante da crescente crise e que o Tocantins está mantendo regularidade nos leitos de UTI, sem ultrapassar 60% de ocupação, mas o importante é essa parceria com o Governo Federal. “É muito importante essa proposta do ministro Pazuello, de fortalecer essa questão das UTIs. Essa é nossa preocupação, termos leitos disponíveis para as emergências das pessoas que procuram a nossa rede de saúde. Diante disso, avaliamos essa reunião como bastante produtiva, pois o Ministro se colocou à disposição de todos para as parcerias, que são importantes para a saúde pública de todo o País”, frisou, citando ainda a garantia do pagamento e manutenção dos leitos habilitados.

Wellington Dias e os demais participantes falaram em união e em prioridade a laboratórios nacionais.

Além do vice-governador Wanderlei Barbosa, acompanharam a reunião o secretário de Estado da Saúde, Edgar Tollini, e o chefe de Gabinete do Governador, Sebastião Albuquerque.

Jarbas Coutinho/Governo do Tocantins

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS